Viva São João
Viva o milho verde
Viva São João
Viva o brilho verde
Viva São João
Das matas de Oxóssi
Viva São João


Gil e Caetano
Próximos eventos

  Cai Cai Balão ~ Ritmo "Jazz"

Gonzaguinha e Gonzagão conta a vida de dois gigantes da música brasileira

Discografia de Luiz Gonzaga ganha reedição completa em seu centenário

MÚSICA - Releitura da sanfona centenária do Rei do Baião

Notícias 2011
Notícias 2010
 

Como "schotisch" se tornou apenas "xote"

Xote (também escrito xótis, chóte ou chótis) é um ritmo musical binário ou quaternário que acompanha uma dança de salão de origem portuguesa. É um ritmo/dança muito executado no forró, onde são utilizados instrumentos como a rabeca, a viola, o pandeiro e o triângulo. O canto é sempre puxado por uma banda ou conjunto musical.

De origem alemã, a palavra "xote" é uma corruptela de "schotisch", um termo alemã que significa "escocesa", em referência à polca escocesa, tal como conhecida pelos alemães. O schotisch foi trazido para o Brasil por José Maria Toussaint, em 1851, e tornou-se apreciado como dança da elite no período do Segundo Reinado. Daí, quando os escravos negros aprenderam alguns passos da dança, acrescentado sua maneira peculiar de bailado, o schotisch caiu no gosto popular, com o nome de "xótis" ou simplesmente 'xote'.



É uma dança muito versátil e pode ser encontrada, com variações rítmicas, do extremo sul do Brasil (o xote gaúcho) até o extremo norte, nos forrós nordestinos. Diversos outros ritmos possuem uma marcação semelhante, podendo ser usados para dançar o xote - que tem incorporado também diversos passos de dança e elementos da música latino-americana como, por exemplo, passos de salsa, rumba e mambo.

Hoje em dia, o xote é um dos ritmos mais tocados e dançados em todo o Brasil.

http://www.youtube.com/watch?v=yAbUprTzL5Y
11.06.2010

 

Busca
Deixe seu e-mail para receber notícias